Caso Clínico de Infectologia e Epidemiologia - Hanseníase

Por LINEP - Liga de Infectologia e Epidemiologia no dia 05 de Janeiro de 2017

Paciente G.S.B, 46 anos, sexo feminino, operadora de caixa,  natural e procedente de Salvador (BA), casada, deu entrada no pronto atendimento do Hospital Couto Maia, trazido pelo filho com queixa de formigamento na perna e pé esquerdos iniciada há 6 meses. Paciente refere ainda que notou o aparecimento de 5 manchas indolores e não pruriginosas na mesma perna há 3 anos, as quais estão presentes até o momento.

Interrogatório Sistemático

Geral: nega astenia, perda ponderal, sudorese.

Pele e anexos: vide HDA

Cabeça e pescoço: NDN

Sist. Respiratório: NDN

Sist. Cardíaco:NDN

Sist. Digestório: NDN

Sist. Neurológico: vide HDA

Antecedentes Médicos

Nega HAS, DM, HIV e hepatites. Nega  tabagismo, alcoolismo e alergias. Nega cirurgias e transfusão de sangue.

Antecedentes Familiares

Genitores falecidos por acidente automobilístico. Filho hígido.

Histórico de HAS em Irmã da paciente

Exame Físico

Geral- BEG, LOTE, afebril, eupneica, acianótica, hidratada.

Antropometria- 78kg, 1,73m.

Dados vitais: pulso rítmico,amplo, cheio com freqüência e 76ppm; TA: 130 x 80 mmHg; FR: 16 ipm; Temperatura axilar: 36,9 ºC

Pele- turgor e elasticidade normais, com 5 manchas hipocrômicas na perna esquerda, indolores, medindo de 1 a 2cm de diâmetro, arredondadas, com bordas bem definidas, e discretamente hipercrômicas; a pele nos locais das manchas é seca e sem pelos; sensibilidade térmica e dolorosa ausente na área das lesões

Mucosas- normocrômicas e sem lesões

TCSC- sem edema, espessura e turgor normais.

Exame da cabeça, pescoço, tórax e abdome sem anormalidades

Exame neurológico- redução de sensibilidade táctil na parte dorsal do pé esquerdo e abolição de sensibilidade térmica e dolorosa nas lesões; discreta redução da força muscular na perna e pé esquerdo.

Impressão diagnóstica

P1: Hanseníase

P2: Micose

Exames solicitados

Baciloscopia de pele negativa

Diagnóstico se baseou em critérios clínicos-epidemiológicos

Plano Terapêutico

Paciente recebeu orientações sobre tratamento supervisionado e receitado: Rifampicina: dose mensal de 600mg (2 cápsulas de 300mg)  por seis meses 

LINEP - Liga de Infectologia e Epidemiologia

5 Publicações | 0 Artigos | 1 Seguidores